sexta-feira, 30 de julho de 2010


Capitão Kirk´ fará série baseada no Twitter


´Capitão Kirk´ fará série baseada no Twitter

LOS ANGELES - William Shatner confessou ter problemas com a era digital. Aos 79 anos, ele não usa o Twitter e não consegue lembrar senhas de computador.

Então o que será que o ator - que começou na televisão quando só existia programas ao vivo e se tornou um herói da cultura pop por "Jornada nas Estrelas" há 40 anos - está fazendo na primeira série de TV elaborada a partir de uma conta no Twitter?

"Está além da ironia", disse Shatner na quarta-feira sobre seu papel como um pai extrovertido e politicamente incorreto na série de comédia "$#*! My Dad Says".

"Esse programa será o primeiro a ser construído na era eletrônica. É um milagre eletrônico. É uma série que tem origem na cultura de hoje", disse Shatner a jornalistas durante a promoção do novo programa da rede CBS.

As ironias terminam aí. "$#*! My Dad Says", que estreia na CBS em setembro, é baseado na conta de Twitter iniciada pelo escritor de comédia Justin Halpern em 2003, que capturou a linguagem hostil de seu pai e suas observações agudas.

A conta de Halpern no Twitter, intitulada "Shit My Dad Says" (merdas que meu pai fala), tem 1,4 milhão de seguidores e deu origem a um livro sucesso de vendas de mesmo nome, além de ter inspirado a série de TV da CBS com os mesmos criadores da série vencedora de Emmy "Will & Grace".

Mas palavrões foram proibidos na rede norte-americana, e a CBS codificou o título com "$#*!" (lido "bleep", em inglês), apesar de os produtores garantirem que existe pouca profanação na série de TV em si.

"Eu queria que a série fosse chamada de ´Shit My Dad Says´", disse o ator. "A palavra ´shit´ (merda) está em nossa volta. Não é uma palavra terrível. É uma função natural. Porque estamos sendo cautelosos?".

"$#*! My Dad Says" estreia na CBS no dia 23 de setembro.


Supertempestade em planeta a 150 anos-luz

Supertempestade em planeta a 150 anos-luz
SÃO PAULO – Pela primeira vez, astrônomos conseguiram observar uma tempestade em um exoplaneta – corpo celeste que orbita uma estrela que não o nosso Sol.

Usando o Very Large Telescope, do European Southern Observatory, os pesquisadores da Universidade Leiden University, do Instituto Holandês de Pesquisa Espacial (SRON) e do MIT mediram uma super tempestade a atmosfera do HD209458b.


Este exoplaneta com cerca de 60% a massa de Júpiter orbita uma estrela localizada a 150 anos-luz na direção da Constelação de Pegasus. Ele está muito próximo a ela, apenas 1/20 da distância da Terra para o Sol, e a temperatura em sua superfície passa de 1000º C no lado “dia”.

Como não gira, uma de suas metades esta sempre mais fria – o lado conhecido como noite. Assim como na Terra, as grandes diferenças de temperatura levam à formação de ventos poderosos – e foi exatamente isto o que a equipe mediu no HD209458b.

Ao observar o gás monóxido de carbono, os cientistas notaram que está circulando em alta velocidade do lado quente (dia) para o frio (noite), formando vento a velocidades de 5 mil a 10 mil km/h.

O trabalho, publicado na Nature, mostra também como, pela primeira vez, foi medida a quantidade de carbono na atmosfera de um exoplaneta. Os números mostram que ele é tão rico em carbono como Júpiter e Saturno.

Os instrumentos utilizados são tão apurados que determinam a posição das linhas de monóxido de carbono com uma precisão de uma parte em 10 mil.

Terremotos no espaço podem afetar Terra

NASA
Terremotos no espaço podem afetar Terra
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...